Fragmento da análise de Antologia Poética

Veja uma prévia da aula

Informações

Tipo: Literatura
Curso: Obras literárias ITA 2023
Professor(a): Altemir

Exercícios

Questão 01

 

(Fuvest-SP)

O amor elide a face... Ele murmura

algo que foge e é brisa e fala impura.

 

O amor não nos explica. E nada basta,

nada é de natureza assim tão casta

 

que não macule ou perca a sua essência

ao contato furioso da existência.

 

Nem existir é mais que um exercício

de pesquisar de vida um vago indício, 

 

a provar a nós mesmos que, vivendo,

estamos para doer, estamos doendo.

 

Mas, na dourada praça do Rosário,

foi-se, no som, a sombra. O columbário

 

já cinza se concentra, pó de tumbas,

já se permite azul, risco de pombas. 

                                ANDRADE, C. D. Claro Enigma. São Paulo: Companhia das Letras, 2012. p. 110.


a) Pode-se considerar que as estrofes do poema “Relógio do Rosário” manifestam uma visão pessimista da existência? Justifique a sua resposta.


b) O poema de Drummond explora as características formais que consagraram a poesia do Modernismo de 1922? Justifique a sua resposta.



Questão 02

 

 (FUVEST 2007) PROCURA DA POESIA

Não faças versos sobre acontecimentos.

Não há criação nem morte perante a poesia.

Diante dela, a vida é um sol estático,

não aquece nem ilumina.

(...)

Penetra surdamente no reino das palavras.

Lá estão os poemas que esperam ser escritos.

Estão paralisados, mas não há desespero,

há calma e frescura na superfície intata.

Ei-los sós e mudos, em estado de dicionário.

(...)

Carlos Drummond de Andrade, "A rosa do povo".

 

No contexto do livro, a afirmação do caráter verbal da poesia e a incitação a que se penetre "no reino das palavras", presentes no excerto, indicam que, para o poeta de "A rosa do povo",


A) praticar a arte pela arte é a maneira mais eficaz de se opor ao mundo capitalista.

B)  a procura da boa poesia começa pela estrita observância da variedade padrão da linguagem.

C)  fazer poesia é produzir enigmas verbais que não podem nem devem ser interpretados.

D) as intenções sociais da poesia não a dispensam de ter em conta o que é próprio da linguagem.

E)  os poemas metalinguísticos, nos quais a poesia fala apenas de si mesma, são superiores aos poemas que falam também de outros assuntos.