Análise da obra A TEUS PÉS

Veja a análise completa da obra e faça os exercícios de aprofundamento

Exercícios

Questão 01


                     QUE DESLIZA


Onde seus olhos estão

as lupas desistem.

O túnel corre, interminável

pouso negro sem quebra

de estações.

Os passageiros nada adivinham.

Deixam correr

Não ficam negros

Deslizam na borracha

carinho discreto

pelo cansaço

que apenas se recosta

contra a transparente

escuridão.

                  A Teus Pés – Ana Cristina Cesar



O livro “A Teus Pés”, de Ana Cristina Cesar, foi lançado em 1982 e traz as marcas características da poesia moderna do século XX. Releia o poema acima e aponte:


A)  Uma característica formal da modernidade presente nele.

B)   Uma característica temática da modernidade presente nele.




Questão 02 (Anglo vestibulares)

Leia o texto para responder às questões.

18 de fevereiro

Me exercitei muito em escritos burocráticos, cartas de recomendação, anteprojetos, consultas. O irremovível trabalho da redação técnica. Somente a dicção nobre poderia a tais alturas consolar-me. Mas não o ritmo seco dos diários que me exigem!

CESAR, Ana Cristina. Cenas de abril. In: ________ Poética. São Paulo: Companhia das Letras, 2013. p. 33.

a) Considerando o conjunto da poesia de A teus pés, de que maneira a obra de Ana Cristina Cesar se afasta do tipo de escrita poética marcado pela “dicção nobre”?

b) O fato de o texto se apresentar em forma de diário indica um compromisso da poeta Ana Cristina Cesar com uma forma de confessionalismo biográfico? Justifique a sua resposta.



Questão 03

(Enem)

Primeira lição

Os gêneros de poesia são: lírico, satírico, didático, épico, ligeiro.

O gênero lírico compreende o lirismo.

Lirismo é a tradução de um sentimento subjetivo, sincero e pessoal.

É a linguagem do coração, do amor.

O lirismo é assim denominado porque em outros tempos os versos sentimentais eram declamados ao som da lira.

O lirismo pode ser:

a) Elegíaco, quando trata de assuntos tristes, quase sempre a morte.

b) Bucólico, quando versa sobre assuntos campestres.

c) Erótico, quando versa sobre o amor.

O lirismo elegíaco compreende a elegia, a nênia, a endecha, o epitáfio e o epicédio.

Elegia é uma poesia que trata de assuntos tristes.

Nênia é uma poesia em homenagem a uma pessoa morta.

Era declamada junto à fogueira onde o cadáver era incinerado.

Endecha é uma poesia que revela as dores do coração.

Epitáfio é um pequeno verso gravado em pedras tumulares.

Epicédio é uma poesia onde o poeta relata a vida de uma pessoa morta.

                                                                                                                   CESAR, A. C. Poética, São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

No poema de Ana Cristina Cesar, a relação entre as definições apresentadas e o processo de construção do texto indica que o(a):

A)  Caráter descritivo dos versos assinala uma concepção irônica de lirismo.

B)   Tom explicativo e contido constitui uma forma peculiar de expressão poética.

C)  Seleção e o recorte do tema revelam uma visão pessimista da criação artística.

D)  Enumeração de distintas manifestações líricas produz um efeito de impessoalidade.

E)   Referência a gêneros poéticos clássicos expressa a adesão do eu lírico às tradições literárias.


Questão 04

(UFRGS-RS) Leia o poema abaixo, de Ana Cristina Cesar.

Final de uma ode

Acontece assim: tiro as pernas do balcão de onde via um sol de inverno se pondo no Tejo e saio de fininho dolorosamente dobradas as costas e segurando o queixo e a boca com uma das mãos. Sacudo a cabeça e o tronco incontrolavelmente, mas de maneira curta, curta, entendem? Eu estava dando gargalhadinhas e agora estou sofrendo nosso próximo falecimento, minhas gargalhadinhas evoluíram para um sofrimento meio nojento, meio ocasional, sinto um dó extremo do rato que se fere no porão, ai que outra dor súbita, ai que estranheza e que lusitano torpor me atira de braços abertos sobre as ripas do cais ou do palco ou do quartinho. Quisera dividir o corpo em heterônimos – medito aqui no chão, imóvel, tóxico do tempo.

Considere as seguintes afirmações sobre esse poema.

I. O eu lírico assume postura confessional, atento aos elementos desconexos do cotidiano.

II. O eu lírico declara sentir-se fragmentado (“dividir o corpo em heterônimos”), pois percebe o ambiente que o circunda a partir de pontos de vista divergentes entre si.

III. O eu lírico sofre e se descontrola diante de sua incapacidade para mudar os fatos que o atormentam.

Quais estão corretas?

A)  Apenas I.

B)   Apenas II.

C)  Apenas I e II.

D)  Apenas I e III.

E)   I, II e III.


Questão 05

(UEL-PR)

O tempo fecha.

Sou fiel aos acontecimentos biográficos.

Mais do que fiel, oh, tão presa! Esses mosquitos que não largam! Minhas saudades ensurdecidas por cigarras! O que faço aqui no campo declamando aos metros versos longos e sentidos? Ah que estou sentida e portuguesa, e agora não sou mais, veja, não sou mais severa e ríspida: agora sou profissional.

CESAR, Ana Cristina. A teus pés. 6. ed. São Paulo: Brasiliense, [s.d.]. p. 9.

Sobre a relação entre o poema e os demais textos que compõem a obra A teus pés, considere as afirmativas a seguir.

I. Destoa, em todos os sentidos, do conteúdo geral da obra, uma vez que se afasta dos temas cotidianos, bem como da linguagem coloquial.

II. Está em consonância com a proposta do livro, pois aborda temáticas do dia a dia, por meio do uso de linguagem coloquial.

III. Trata de acontecimentos biográficos da vida da escritora, exaltando a vivência no campo em Portugal, seu país de origem.

IV. Utiliza aspectos autobiográficos como matéria para a construção poética, estilizando a realidade em vez de retratá-la fielmente.

Assinale a alternativa correta.

A)  Somente as afirmativas I e II são corretas.

B)   Somente as afirmativas II e IV são corretas.

C)  Somente as afirmativas III e IV são corretas.

D)  Somente as afirmativas I, II e III são corretas.

E)   Somente as afirmativas I, III e IV são corretas.



Questão 06 (Anglo vestibulares)

Fogo do final

[...]

Cartões-postais escolhidos dedo a dedo.

No verso: atenção, estás falando para mim, sou eu que estou aqui, deste lado, como um marinheiro na ponta escura do cais.

É para você que escrevo, hipócrita.

Para você – sou eu que te seguro os ombros e grito verdades nos ouvidos, no último momento.

Me jogo a teus pés, inteiramente grata.

CESAR, Ana Cristina. A teus pés. In: ________. Poética. São Paulo: Companhia das Letras, 2013. p. 121.

Considerando o excerto no conjunto da produção de Ana Cristina Cesar, é possível afirmar que a interpelação ao leitor indica:

A)  A total desconsideração do receptor no processo de produção poética, revelando profundo ensimesmamento do enunciador

B)   A caracterização negativa do receptor do texto, atestando o complexo de superioridade do enunciador

C)  A necessidade do enunciador em estabelecer contatos profundos e complexos com o receptor dos textos.

D)  O caráter contraditório do enunciador, que considera o leitor incapaz de compreender os textos que escreve.


Questão 07 (Anglo Vestibulares)

Leia o texto.

Mocidade independente

Pela primeira vez infringi a regra de ouro e voei para cima sem medir as consequências. Por que recusamos ser proféticas? E que dialeto é esse para a pequena audiência de serão? Voei pra cima: é agora, coração, no carro em fogo pelos ares, sem uma graça atravessando o estado de São Paulo, de madrugada, por você e furiosa: é agora, nesta contramão.

CESAR, Ana Cristina. A teus pés. In: ________. Poética. São Paulo: Companhia das Letras, 2013. p. 85.

Considerando a expressão de uma voz feminina no texto de Ana Cristina Cesar, é possível afirmar que:

A)  A enunciadora assume de maneira consciente e orgulhosa uma atitude desviante em relação ao padrão do comportamento feminino dos anos 1970.

B)   A enunciadora demonstra a culpa por ter se deixado levar por um comportamento tido como imoral.

C)  A enunciadora exalta o fato de ter se exposto ao perigo em uma autoestrada no estado de São Paulo.

D)  A enunciadora convoca as mulheres de seu tempo a agirem de maneira contrária aos padrões morais defendidos pelo conservadorismo político.



Questão 08


Unicamp-2019


Atrás dos olhos das meninas sérias


Mas poderei dizer-vos que elas ousam? Ou vão, por injunções muito mais sérias,

lustrar pecados que jamais repousam?


O texto acima encontra-se no livro A teus pés, de Ana Cristina Cesar. Leia-o atentamente e responda às questões.


A)  Indique a quem se referem, no texto, a segunda pessoa do plural (“vos”) e a terceira pessoa do plural (“elas”).

B)   Por meio da partícula “Ou”, o poema estabelece uma alternativa entre duas situações: a ousadia e a ação de “lustrar pecados”. Explique de que maneira a primeira situação é diferente da segunda, levando em consideração o título do poema.



Questão 09

Unicamp-2019

(...)

Eu tenho uma ideia.

Eu não tenho a menor ideia.

Uma frase em cada linha. Um golpe de exercício.

Memórias de Copacabana. Santa Clara às três da tarde.

Autobiografia. Não, biografia.

Mulher.

Papai Noel e os marcianos.

Billy the Kid versus Drácula.

Drácula versus Billy the Kid.

Muito sentimental.

Agora pouco sentimental.

Pensa no seu amor de hoje que sempre dura menos que o seu

amor de ontem.

Gertrude: estas são ideias bem comuns.

Apresenta a jazz-band.

Não, toca blues com ela.

Esta é a minha vida.

Atravessa a ponte.

(...)

                             (Ana Cristina Cesar, A teus pés. São Paulo: Companhia das Letras, 2016, p. 9.)


Esse trecho do poema de abertura de A teus pés, de Ana Cristina Cesar,


A)  Expressa nostalgia do passado, visto que mobiliza referências à cultura pop dos anos 1970.

B)   Requisita a participação do leitor, já que as referências biográficas são fragmentárias.

C)   Exclui a dimensão biográfica, pois se refere a personagens imaginários e de ficção.

D)  Tematiza a descrença na poesia, uma vez que a poeta se contradiz continuamente.





Questão 10 - UFSC-2017

dia 16 de outubro de 1983

Primeira noite decente. Sonhei com o consultório da Mary atravessado de papel higiênico, grande confusão: seria quem? Analista, amiga ou namorada? Nenhuma das três?

Não quero agora computar as perdas. Perder é uma lenha. Lá fora está sol, quem escreve deixa um testemunho. Reesquentando. Joguei fora algumas coisas já escritas porque não era o testemunho que eu queria deixar. É outro. Outro agora. Acredite se puder. Rejane por perto, acompanhando meus progressos. Peço a ela encarecidamente que me faça o favor de lembrá-los. Eu mesma me exercito, mas que péssima memória! Notas, Armando. A memória Fraca para os progressos! Chega desse lero, Poesia virá quando puder. Por enquanto, Filho, é isso aí apenas. Saí ao sol onde tentei um do-in, me sintoexaurida. Lembra que o diário era alimento cotidiano? Que importa a má fama depois que estamos mortos?Importa tanto que abri a lata de lixo: quero outro testemunho. Diário não tem graça, mas esquenta, pega-se de novo a caneta abandonada, e o interlocutor é fundamental. Escrevo para você sim. Da cama do hospital. A lesma quando passa deixa um rastro prateado.

Leiam se forem capazes.

CESAR, Ana Cristina. Poética. São Paulo: Companhia das Letras, 2013, p. 309.

Com base na leitura e interpretação do texto 2 e de acordo com a variedade padrão escrita da língua portuguesa e com os componentes constitutivos do texto, é correto afirmar que:

01. o sinal de dois pontos em “grande confusão: seria quem?” e em “abri a lata de lixo: quero outro testemunho” é usado, nos dois casos, para introduzir uma retificação acerca do termo precedente.

02. em “me faça” e em “me sinto”, a colocação pronominal poderia ser alterada para “faça-me” e “sinto-me”, pois a ordem do pronome em relação ao verbo é opcional nos dois casos.

04. as formas verbais “reesquentando” e “esquenta” são usadas com sentido denotativo, em referência direta ao calor do sol.

08. as cinco perguntas presentes no texto 2 produzem uma impressão de colóquio, isto é, de conversa, ainda que seja uma fala de si para si em um texto escrito.

16. o excerto “Da cama do hospital. A lesma quando passa deixa um rastro prateadoLeiam se forem capazes” constitui uma provocação de Ana Cristina Cesar para que o leitor decifre a natureza do testemunho registrado.

32. a organização do texto 2 obedece à natureza tradicional dos diários íntimos ao exigir um interlocutor externo, alguém diferente da própria pessoa que os escreve.

64. marcas textuais presentes no texto 2 e que o caracterizam como pertencente ao gênero diário são: discurso em primeira pessoa, entrada de data, tom intimista e confessional.



Questão 11

Unicamp 2020

este livro

Meu filho. Não é automatismo. Juro. É jazz do coração. É

prosa que dá prêmio. Um tea for two total, tilintar de verdade

que você seduz, charmeur volante, pela pista, a toda. Enfie a

carapuça.

E cante.

Puro açúcar branco e blue.

(Ana Cristina César, A teus pés. São Paulo: Companhia das Letras, 2019, p. 29.)


a) No poema “este livro” usa-se um recurso poético chamado aliteração. Explique o que é aliteração e identifique um exemplo de aliteração presente nesse texto poético.




b) O poema propõe uma definição do próprio livro e inclui algumas “instruções” para o provável leitor. Identifique dois verbos que instruem o leitor e explique a frase “Não é automatismo”, com base no conjunto do poema.