A PALAVRA ALGO - Análise completa da obra

Veja a análise completa da obra e faça os exercícios de aprofundamento

Exercícios

Questão 01

                    MEUS OITO ANOS


AURORA        DA MINHA           VIDA

        ORA                                           IDA


OS ANOS        TRAZEM               AIS

                                                     Lucy Collin – A Palavra Algo


Leia com atenção o poema acima e responda o que se pede:


Aponte pelo menos uma característica de composição desse poema:


A)  No plano do conteúdo.


B)   No plano formal.





Questão 02


DORMESMO

                    À Marina Kazumi


Dor mesmo nem tanto incisiva

- surpresa da faca na pele –

Intensa dor mas reversível

Ferida que enfim cicatriza


Dor mesmo é aquela miúda

Dor sempre que não envelhece

Lateja essa dor – a mais funda –

De um ontem que nunca se esquece


A)   Qual o processo de formação do neologismo do título? E qual o seu significado?


B)   Qual é o verso da segunda estrofe que melhor esclarece o sentido do título? Justifique.





Questão 03


Sobre “A Palavra Algo”, de Lucy Collin, é correto afirmar:


(01) O livro, composto por 47 poemas, aborda uma temática variada que oscila de emoções subjetivas, como os poemas “artifício” e “concordância” até observações irônicas da realidade tecnológica moderna, como o poema “imortalha”.


(02) Uma característica comum nos poemas do livro é a enumeração de cenas e fatos do cotidiano, como se percebe no poema “orçamento sem compromisso”.


(04) Entre os processos de criação de Lucy Collin está a intertextualidade, onde a autora retoma temas, imagens e fragmentos de autores e obras consagradas da literatura universal.


(08) Os poemas do livro são marcados pela presença de métricas e rimas regulares, destoando da modernidade que predomina na temática e linguagem.


(16) A ausência da pontuação tradicional, além de uma peculiaridade de estilo da autora, influencia no ritmo e musicalidade dos poemas.


(32) A metalinguagem, discussão/comentário sobre o processo de criação, está presente em poemas como “deveras” e “firmamento”.




Questão 04


INSONETO


De amor, ora direis, rever promessas

Que as chamas de uma voz não voltam mais

E sempre é de hora alguma esse momento

E nunca em face a mais meu bem secreto


Quisera revivê-lo em vão tormento

E em seu rosto esconder meu riso

Se se pudesse esconder senso e siso

O meu pesar ao ver o seu espanto


Certo é que o infinito nunca dure

(vai-se a primeira estrela descoberta)

Quem sabe a espuma o fim de quem desperta


Na fresca madrugada eu encontrasse

O amor (que tive) – eu vos direi, no entanto

Que só se ama a ilusão que nasce

                                                    Luci Collin


Leia e analise o poema acima retirado do livro “A Palavra Algo”, de Luci Collin. Em seguida, assinale a afirmação incorreta.

A)  O título do poema é um neologismo e tem o sentido de “não soneto”

B)   O poema segue a forma clássica do soneto, com dois quartetos e dois tercetos e versos com métrica regular de dez sílabas cada um (decassílabo)

C)   O poema dialoga com sonetos consagrados do parnasianismo, como o “Via Láctea” (ora direis) de Olavo Bilac e “As Pombas” (fresca madrugada) de Raimundo Correia.

D)  A maior intertextualidade do poema, no entanto, se dá com outro soneto famoso. Existem claras referências ao “Soneto da Fidelidade”, do modernista Vinícius de Moraes. (em face, pesar, espanto, infinito, quem sabe)

E)   Apesar de o título trazer um prefixo de negação, o soneto apresenta uma visão otimista e confiante na sobrevivência do amor através do tempo.




Questão 05


Julgue os itens a seguir.


01) Luci Collin em seu livro de poesias “A palavra algo” valoriza a língua portuguesa sem utilizar estrangeirismos, mas sim variantes locais, numa tentativa de reconhecer variantes regionais curitibanas como sendo as principais.

02) Nos versos “o cavalo mais que imediato /que vibra no destino das lonjuras /trama uma esparsa coreografia / que é seu discurso de casco /e informa tudo o que se diz /de olhos fechados/ amplitude redenção”, há um espaço proposital, cuja lacuna representa afastamento físico mesmo e pede para que o leitor as complete.

04) Em A palavra algo de Luci Collin podem ser encontrados alguns dos temas presentes da Poesia Brasileira Contemporânea, tais como a atualidade da apropriação de meios digitais em “Imortalha” e o suicídio em “Cividade”.

08) O recurso do neologismo (criação de novas palavras) se faz presente em títulos como “Insoneto”, um soneto no qual o eu lírico parodia várias outras referências literárias que se aventuraram nessa forma fixa, como Olavo Bilac e Vinicius de Moraes.

16) Mesmo em se tratando de uma escritora contemporânea, Luci Collins estabelece intertextualidade com os clássicos, como é o caso de Gonçalves Dias em “Meus oito anos”, bem como utiliza palavras no seu sentido original.


Assinale o que for correto quanto à soma das alternativas sobre a obra A palavra algo de Luci Collin e sobre a Poesia Brasileira Contemporânea.


(A) 03.

(B) 06.

(C) 14.

(D) 30.

(E) 31.




Questão 06

 

ÓBVIA


A flor é óbvia

O poema é obscuro

A flor é pura

O poema obsceno

A flor é livre

O poema é obsessivo

Novíssima a flor

O poema é obsoleto

A flor pulsante

O poema obstinado


O poema é precariedade

Finge

Pretende


A flor é forma de flor

Que o poema vê

Intenta

Namora

Cogita


         Grita com uma voz parecida

         Mas que nunca chega a ser

                                                  Voz de flor

                                                                          A palavra algo - Lucy Collin


Assinale a afirmação incorreta sobre o poema acima:


A)  A primeira estrofe é marcada por um jogo de características contrárias entre a flor e o poema.

B)   A técnica de iniciar os versos com uma expressão que se repete (como “a flor” e “o poema”) caracteriza a figura de linguagem chamada anáfora.

C)   Esse poema analisa as características do poema em comparação com as de uma flor, concluindo que a flor possui a essência verossímil e concreta, em oposição ao poema que é criação fingida.

D)  O poema é a forma da flor manifestar sua voz e expor a sua obviedade.

E)   Esse poema exprime uma angústia do artista que, através de sua arte, busca recriar a obviedade da natureza que o cerca, mesmo consciente de que a poesia é “fingimento”.